Banco do Brasil, Petrobras, Eletrobras e Vale são as novas empresas parceiras do programa Novos Caminhos, ação idealizada e desenvolvida em Santa Catarina, que agora será nacionalizada sob o comando do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). A solenidade de assinatura do acordo de cooperação técnica foi realizada no CNJ, em Brasília-DF, na tarde desta terça-feira (5/3).

Na cerimônia, o desembargador Francisco Oliveira Neto, presidente do TJSC, falou da trajetória exitosa do programa em Santa Catarina, o qual tem como foco a capacitação e empregabilidade dos jovens egressos das casas de acolhimento, e do seu forte e positivo impacto social. Destacou as diversas frentes de atuação do programa – inclusive na parte da saúde mental, com atendimentos psicológicos. Segundo o magistrado, “o Novos Caminhos está em consonância com todas as diretrizes do Conselho Nacional de Justiça e do próprio Supremo Tribunal Federal”. E resumiu: “É do futuro que estamos tratando aqui”.


Por lei, ao completar 18 anos, não sendo possível o retorno à família biológica, os jovens acolhidos precisam deixar os abrigos e iniciar a vida adulta por conta própria. O Novos Caminhos os prepara para que cheguem à nova fase com ferramentas que lhes possibilitem uma vida autônoma e digna.

Segundo dados do Sistema Nacional de Adoção e Acolhimento, do CNJ, 34 mil crianças e adolescentes vivem atualmente em casas de acolhimento. Neste sentido, o presidente do Conselho, ministro Luís Roberto Barroso, salientou que o programa promove a educação inclusiva e de qualidade, abrindo novas oportunidades aos jovens egressos das instituições de acolhimento. “Novos Caminhos é um projeto social muito importante, de grande relevância, e a parceria das empresas deverá ampliar e agregar novos parceiros”, ressaltou.


A iniciativa de nacionalizar o Novos Caminhos partiu do corregedor nacional de Justiça, ministro Luis Felipe Salomão, depois de uma visita a Santa Catarina. “Eu pude perceber a efetividade do programa, vi como ele se tornou um sucesso e mudou a vida de crianças e adolescentes que estavam abrigados e que hoje têm emprego, família, têm um rumo e o controle da própria vida”. Ele destacou o empenho incansável da juíza auxiliar da Corregedoria Nacional de Justiça, Carolina Ranzolin Nerbass, nesse processo de nacionalização do programa.


Em fala emocionada, a presidente do Banco do Brasil, Tarciana Medeiros, adiantou que o apoio da instituição se dará, entre outras formas, por meio do programa Aprendiz do BB, que vai incorporar em seus quadros os jovens acolhidos. “Eu sou o testemunho vivo do que a educação é capaz de fazer na vida de um jovem, por isso vou me empenhar pessoalmente para ampliar este projeto”. Ela disse ainda que a participação do Banco do Brasil pode estimular outras empresas a se juntarem na luta contra a desigualdade social.


Nessa mesma linha e com igual entusiasmo, se pronunciaram o gerente executivo de responsabilidade social da Petrobrás, José Maria Rangel; o vice-presidente jurídico da Eletrobras, Marcelo Siqueira; e o vice-presidente executivo de assuntos corporativos da Vale, Alexandre Silva D’Ambrosio.


Eles fizeram questão de enaltecer a iniciativa do advogado catarinense Marcelo Gasparino, conselheiro de administração da Eletrobras, Petrobras e Vale. Foi ele quem apresentou o projeto a essas empresas, depois de conhecer in loco o Novos Caminhos em 2023 e de ouvir o depoimento emocionado de jovens que participaram e participam da ação.


De Santa Catarina, além dos citados, estiveram presentes na solenidade o juiz de direito de 2º grau Giancarlo Bremer Nones, representante da Coordenadoria Estadual da Infância e da Juventude (CEIJ); a juíza Maira Salete Meneghetti, juíza auxiliar da Presidência; o juiz Marcelo Pizolati, presidente da Associação dos Magistrados Catarinenses; e o diretor institucional e jurídico da FIESC, Carlos Kurtz.

No Estado, junto com TJSC, AMC e FIESC, integram o programa as seguintes entidades: Ordem dos Advogados do Brasil, Ministério Público de Santa Catarina, Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina (Fecomércio), Associação Catarinense de Medicina, Fundação de Estudos Superiores de Administração e Gerência, Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina, Centro de Integração Empresa-Escola do Estado de Santa Catarina e Serviço Social do Comércio – Sesc/Fecomércio.