A 5ª Promotoria de Justiça da Capital com atuação na área Militar em matéria criminal também se manifestou favorável à expedição de mandados de busca e apreensão domiciliar, veicular e pessoal de policiais envolvidos na operação.

Após manifestação do Ministério Público de Santa Catarina, a Vara de Direito Militar da Comarca da Capital decretou a prisão do sargento da Polícia Militar envolvido na operação contra pessoas em situação de rua em Itajaí. A representação requerendo a prisão do PM foi formulada pela Corregedoria-Geral da Polícia Militar. O policial foi preso preventivamente nesta sexta-feira (10/11).

O Promotor de Justiça Alexandre Piazza, titular da 5ª Promotoria de Justiça da Capital  com atuação na área Militar em matéria criminal, também se manifestou favorável à expedição de mandados de busca e apreensão domiciliar, veicular e pessoal  de  policiais envolvidos na operação. As medidas foram deferidas para apurar a possível prática dos crimes de racismo, abuso de autoridade, tortura, organização de grupo para a prática de violência e de incitamento.

A operação envolvendo policiais militares teria o objetivo de expulsar de Itajaí pessoas em situação de rua na madrugada de 31 de outubro. O caso vem sendo apurado também pela 1ª Promotoria de Justiça de Itajaí, responsável pela Área do Controle Externo da Atividade Policial, pela 13ª Promotoria de Justiça da Comarca de Itajaí. O Núcleo de Enfrentamento aos Crimes de Racismo e Intolerância (NECRIM) do MPSC acompanha as investigações.

O texto é da Coordenadoria de Comunicação Social do MPSC.