A Inteligência Artificial (IA) deixou de ser uma promessa futurista para se tornar uma realidade presente em nossas vidas. De assistentes de voz em smartphones a sistemas de recomendação de conteúdo, a IA está transformando a maneira como interagimos com a tecnologia e o mundo ao nosso redor. No entanto, essa revolução tecnológica traz consigo desafios significativos para a privacidade dos indivíduos.

A IA está sendo aplicada em diversas áreas, abrangendo desde a medicina até a indústria automobilística. Plataformas de streaming de vídeo e música utilizam IA para recomendar conteúdo com base em nossas preferências. Assistentes virtuais como Siri, Google Assistant e Alexa empregam IA para compreender e responder a comandos e perguntas dos usuários. Na medicina, a IA auxilia médicos no diagnóstico de doenças e na interpretação de exames médicos. Até mesmo os carros autônomos dependem da IA para navegar com segurança pelas estradas.

No entanto, à medida que a IA se torna mais integrada em nossas vidas, surgem questões significativas em relação à privacidade. Estes são alguns dos desafios que precisamos enfrentar:

Coleta de Dados Massiva: A IA requer enormes conjuntos de dados para aprender e tomar decisões precisas. Essa coleta muitas vezes envolve informações pessoais, representando um risco potencial à privacidade, se não for devidamente protegida.

Perfilagem e Segmentação: A IA é usada para criar perfis detalhados dos usuários, permitindo a segmentação precisa de anúncios e conteúdo. Isso pode levar a uma “bolha de informação”, onde as pessoas são expostas apenas a informações que reforçam suas visões existentes.

Violação de Dados: A segurança dos dados é fundamental ao lidar com a IA. Violações de dados podem resultar na exposição de informações sensíveis e causar danos significativos à privacidade.

Decisões Injustas ou Discriminatórias: Algoritmos de IA podem ser viesados, levando a decisões injustas ou discriminatórias, especialmente em áreas como empréstimos, contratação e justiça criminal.

Para proteger a privacidade na era da IA, é essencial adotar abordagens proativas. As empresas devem ser transparentes sobre como usam os dados dos usuários e obter consentimento adequado.

A privacidade também deve ser uma consideração desde o início do desenvolvimento de sistemas de IA incorporando princípios de “Privacy by Design” de modo a garantir a privacidade e a proteção de direitos e liberdades dos indivíduos desde a concepção desses sistemas. Além disso, a auditoria de algoritmos é crucial para identificar e mitigar vieses e garantir equidade nas decisões.

A aplicação rigorosa de leis de proteção de dados, como a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), desempenha um papel fundamental na garantia da privacidade em um ambiente de IA em constante evolução.

A IA tem o potencial de trazer benefícios significativos para a sociedade, mas também representa desafios complexos para a privacidade. Encontrar um equilíbrio entre a inovação tecnológica e a proteção dos direitos individuais é crucial para garantir um futuro digital seguro e ético para todos.

Alexander Coelho é advogado especializado em Direito Digital e Proteção de Dados, membro da Comissão de Privacidade e Proteção de Dados da OAB/São Paulo e sócio do escritório Godke Advogados.