A OAB Nacional inicia nesta segunda-feira (28/08) o primeiro estudo demográfico da advocacia brasileira. O objetivo é conhecer a classe para qualificar o atendimento aos mais de 1,3 milhão de advogados e advogadas do país e melhor atender as dificuldades e as oportunidades de cada uma das 27 seccionais.

Intitulada “Perfil ADV”, a campanha tem o slogan “Te ouvir para melhor te atender”. O questionário terá 42 perguntas sobre os diversos aspectos do exercício da profissão, que vai ser aplicado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Este trabalho inédito será coordenado pelo advogado catarinense Rafael Horn, vice-presidente Nacional da OAB. A iniciativa, segundo ele, vai trazer para o centro do debate a realidade da profissão, o perfil, a distribuição demográfica, especialidades, condições de trabalho, renda média, entre outras questões técnicas para desenvolver ações ainda mais assertivas e focadas em nossas principais bandeiras, entre elas, a defesa das prerrogativas, o respeito aos honorários justos, a interiorização.

“Com este estudo demográfico da advocacia brasileira também iremos colher informações como gênero, raça e orientação sexual para mapear desigualdades e, até mesmo, discriminação na oferta de oportunidades e no próprio exercício da profissão”, pontua Horn.

O levantamento quer ainda identificar os advogados que possuem deficiência, saber quais são suas dificuldades para a OAB postular melhoria para esses profissionais nas unidades judiciais e ainda abordar questões como a restrição à propaganda paga entre advogados e o uso das tecnologias em procedimentos judiciais. Desenvolvido pelo CFOAB, o estudo vai contar ainda com apoio de uma comissão formada pelos presidentes das Seccionais de Alagoas, Vagner Paes; da Bahia, Daniela Borges; de Goiás, Rafael Lara; e de Pernambuco, Fernando Ribeiro Lins.