É para expressar o mal-estar por termos sido tratados de maneira infantilizada pela OAB, que foi muito ofensiva em sua estratégia. Nas comarcas os servidores são fundamentais para que os advogados exerçam as suas funções e sempre têm buscado um tratamento cordial. Se há problemas locais e pontuais, a melhor solução é buscar soluções específicas para cada caso através das seccionais. O relatório apresenta informações de maneira leviana e engrossa de forma tendenciosa o discurso contra o serviço público, e isso nós não podemos aceitar.

O parágrafo acima consta de texto publicado no site do Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário do Estado (Sinjusc) nessa quarta-feira (17), em “resposta” a ofício (142/2021-GP) encaminhado pela seccional catarinense da OAB ao presidente do Tribunal de Justiça do Estado, desembargador Ricardo Roesler.

Junto ao documento, que é assinado pelo presidente da entidade, Rafael de Assis Horn, a fim de justificar perante a administração do Poder Judiciário a necessidade de urgência na implantação do chamado “Balcão Virtual”, está anexado relatório elaborado pela OAB/SC, que entrou em contato telefônico com todas as comarcas catarinenses a fim de verificar a agilidade no atendimento.

“Contribuição”

Diz trecho do relatório:

[…]
A justificar a urgência na implantação do “Balcão Virtual”, encaminhamos relatório anexo dos atendimentos telefônicos realizados pelas serventias judiciais entre 8 e 23 de fevereiro, a demonstrar que, das 414 varas em funcionamento na Justiça Estadual, 77 delas não atendem as chamadas telefônicas, o que acaba prejudicando a qualidade da prestação jurisdicional.
Esta, portanto, a contribuição que a OAB/SC apresenta, com o intuito de auxiliar na prestação jurisdicional em nosso Estado, razão pela qual encarecemos urgência no deferimento.

No texto publicado em seu site, o sindicato rebate:

[…]
Olhando as informações do relatório com calma, diferente do sentido negativo expresso no ofício, os dados depõem de maneira positiva quanto ao atendimento que está sendo prestado. Foram feitas ligações para 414 varas. Entre estas, em 62% dos casos as chamadas foram atendidas rapidamente – como definiu a própria OAB. Já em 18% dos casos o tempo de atendimento para as chamadas foi classificado como normal ou demorado. Em 20% dos casos não houve atendimento por telefone.

Além da matéria no site do sindicato, nas redes sociais também houve reação de servidores do Poder Judiciário, com questionamentos às afirmações da OAB/SC. Várias manifestações foram direcionadas ao presidente Rafael Horn.

Ágil atendimento

Em seu site, a entidade de classe que representa os advogados e advogadas de Santa Catarina explica que “a implantação do ‘Balcão Virtual’, uma espécie de atendimento imediato via chat, online, sem necessidade de prévio agendamento, para garantir o ágil atendimento da advocacia catarinense em cada vara das Justiças Federal, Estadual e do Trabalho, é o mais recente e importante pleito da OAB/SC aos Tribunais.

“Após a implantação de importantes avanços como a Central de Atendimento Eletrônico da Advocacia, a sustentação oral virtual em tempo real, a OAB/SC, buscando garantir o pleno exercício profissional, em tempos de pandemia, enviou ofícios nesse sentido ao TJSC, TRT12 e ao TRF4, requerendo a implantação do projeto ‘Balcão Virtual’, modelo esse já executado com êxito na própria Seccional, através da Central de Atendimento, que oferece atendimento online, via chat, para agilizar as demandas cotidianas da advocacia catarinense”, diz o comunicado da OAB/SC.

Leia o relatório enviado ao TJSC NESTE LINK