Advogado Evilásio Caon – Foto: Álbum de família

“O nome de Evilásio Neri Caon é a representação máxima da importância do advogado na defesa do Estado Democrático de Direito”.

A frase, que consta do voto do então conselheiro estadual da OAB/SC Alexandre Evangelista na proposição que aprovou, por unanimidade, em homenagem póstuma no ano de 2015, a imortalização de Caon como nome da sede da Seccional, em Florianópolis, resume a trajetória daquele que é considerado um dos maiores criminalistas com atuação em Santa Catarina, que neste domingo completaria 92 anos de idade.

Falecido em 1997, Evilásio Caon, ex-presidente da OAB/SC (1981-1983) e ex-conselheiro federal (83-85),  deixou um legado para além da atividade judicante, marcada por mais de 400 atuações no Tribunal do Júri, onde se consagrou como um dos maiores advogados do Estado.

Na política, sua atuação começou em 1954, quando foi vereador em Lages, chegando à presidência da Câmara municipal entre 1957 e 1958, ano em que se elegeu deputado estadual. Foi fundador do Movimento Democrático Brasileiro (MDB) em 1966, sendo cassado pelo Ato Institucional Nº 5 em 1969. Teve seus direitos políticos recuperados em 1983.

Em sessão especial ocorrida em 13 de agosto de 2019, a Assembleia Legislativa restituiu, de modo simbólico, o mandato do Deputado Evilásio Caon e de outros que tiveram seus mandatos cassados pelo regime militar na década de 1960.

Tanto no direito quanto na política, a defesa das garantias individuais, da democracia e da liberdade foram as marcas do seu trabalho e da sua luta. Para muitos operadores do Direito, lembrar a trajetória de Evilásio Caon é reverenciar o papel dos advogados e das advogadas na construção de uma sociedade mais igualitária e justa.

“Inspirador para a classe”

“Evilasio Caon é um dos grandes nomes da história da advocacia nacional. Tive o prazer de conhecê-lo com ele conviver logo após a faculdade, justamente em razão da amizade que nutria com nosso amigo comum, o advogado Norberto Ungaretti. Caon era um defensor dos Direitos Humanos e para a garantia dos direitos não transigia com a liberdade e as prerrogativas do exercício profissional dos advogados. Foi inspirador para toda a classe.”, define o ex-presidente da OAB/SC, Tullo Cavallazzi Filho.

“Um homem valente”

Quando da homenagem promovida pela OAB/SC, em agosto de 2015, o filho, Leoberto Baggio Caon, falando em nome da família, lembrou que o pai “era um homem tão valente, que se recusava a ser anistiado, depois da perda dos direitos políticos” e “foi corajoso até na hora da morte, quando reuniu a família e rezou conosco a extrema-unção”.