Segunda mulher a presidir a Caixa de Assistência dos Advogados de Santa Catarina (CAASC), instituição criada pelo Conselho Federal da OAB em 5 de fevereiro de 1948, Cláudia Prudêncio vem se destacando à frente de uma gestão reconhecida pela advocacia catarinense como dinâmica, democrática e participativa.
Casada e mãe de duas filhas, ela, assim como milhares de colegas advogadas, divide seu tempo entre o escritório e a família. Natural de Torres (RS), mas florianopolitana de coração, mora há 20 anos na Capital catarinense, onde construiu uma reputação de profissional competente e respeitada.
Recentemente, mesmo acometida pelo Covid-19, doença que acredita ter contraído numa viagem a trabalho, reforçou o planejamento para as ações a serem lançadas em prol da advocacia catarinense em tempos de pandemia.
Na entrevista abaixo, Cláudia Prudêncio relata a experiência que vivenciou com o novo coronavírus, fala um pouco das ações da CAASC, dos desafios da advocacia catarinense e anuncia uma ajuda financeira inédita para advogados e advogadas que estão com seus escritórios fechados em razão da pandemia.

Confira:

JusCatarina – Diante da pandemia do novo coronavírus a CAASC já lançou algumas iniciativas, como antecipar a campanha de vacinação contra a gripe e o “Xo Corona”, programa de exercícios físicos gratuito para advogados e advogadas fazerem em casa junto com sua família. Quais iniciativas estão planejadas daqui em diante, para essa fase em que os especialistas dizem que a curva de contágio começa a subir?

Cláudia PrudêncioA Caixa de Assistência dos Advogados de Santa Catarina, desde anunciado o início da pandemia, tomou uma série de medidas no combate ao coronavírus. Além dos programas citados acima, decidimos imediatamente substituir o expediente presencial por teletrabalho, zelando pela saúde dos colaboradores, advogados e advogadas que buscavam atendimento em nossa sede. Também contamos com centenas de clínicas médicas e laboratórios conveniados para atender a advocacia de todo o estado. Lançamos uma plataforma de teleorientação sobre o COVID-19, onde a advocacia catarinense pode tirar dúvidas com profissionais da saúde gratuitamente, 24 horas por dia, sobre a infecção, formas de prevenção e medidas a serem tomadas em caso de sintomas do coronavírus. Nesta segunda (30), lançamos mais uma ação da CAASC pela saúde mental da advocacia, com atendimentos psicológicos on-line, também sem qualquer custo, para que os advogados e advogadas passem pela quarentena com a saúde emocional em dia.
Mas o grande destaque fica por conta das ações que a CAASC vai realizar neste mês de abril. Lançaremos o Auxílio Emergencial CAASC, que consiste em uma ajuda no valor de R$ 500 para advogados e advogadas que preencherem os requisitos do programa durante o período que ficarão com os escritórios fechados por conta da pandemia.
Além disso, a nossa campanha de vacinação contra a gripe, que será dia 30 de abril, será gratuita para os advogados e advogadas catarinenses.
A CAASC está sempre atenta às demandas e necessidades de seus associados, portanto todos os nossos colaboradores estão à disposição em tempo integral para atender nossos colegas no que for preciso.

 

Portal JusCatarina – Quais são as principais dúvidas/questionamentos que chegam à CAASC neste período?

Cláudia Prudêncio As dúvidas são normalmente relacionadas à saúde e sobre como participar de alguma ação da Caixa. Como um dos pilares de nossa gestão sempre foi cuidar da saúde dos advogados, advogadas e familiares, seja disponibilizando acesso gratuito à prática de diversos esportes, seja através de nossos convênios, proporcionando plano de saúde com valor mais acessível que os oferecidos no mercado, temos sido muito questionados a respeito do combate ao novo coronavírus.

 

Portal JusCatarina – As grandes bancas de advocacia possuem lastro para enfrentar uma crise como a que estamos passando. Mas e o jovem advogado, o profissional que trabalha sozinho e as pequenas sociedades, que medidas devem lançar mão para enfrentar as dificuldades advindas do isolamento?

Cláudia Prudêncio Este é um momento único e excepcional para todos os setores da economia, seja qual for o tamanho do negócio. Um elevado percentual da advocacia do Estado é formado por pequenos escritórios e advogados que atuam individualmente.
Aqueles que estão em início de carreira, já sofrem naturalmente com o começo da profissão e tendem a sofrer ainda mais com os efeitos da crise. Por isso, além do auxílio emergencial que a CAASC pretende oferecer aos mais necessitados e dos programas oferecidos para gestão e prospecção de novos clientes, é muito importante que cada profissional aproveite esse período também para buscar aperfeiçoamento profissional e novas especialidades. Este momento é fundamental que a jovem advocacia faça um planejamento dos próximos meses, aproveitando os cursos online de gestão, de aprimoramento, de planejamento e de capacitação apoiados e subsidiados pela CAASC, sem qualquer custo para jovem advocacia. Aliar os mecanismos de auxílio emergencial, com os programas de aprimoramento são fundamentais para mitigar os efeitos desta crise.
Mas, é importante ressaltar que a CAASC está sempre à disposição da advocacia, principalmente dos que mais necessitam da nossa ajuda.

 

Portal JusCatarina – Pela primeira vez na história recente do país vivenciamos uma situação como a atual. Que ensinamentos ela traz para a advocacia e que medidas podem ser implementadas para um eventual enfrentamento semelhante no futuro?

Cláudia Prudêncio Creio que os ensinamentos irão além de qualquer profissão. Acredito que organização seja a palavra chave. Os escritórios tiveram que se adaptar ao home office, formato de trabalho mais flexível do que os que estamos habituados. É o momento de utilizar ainda mais a tecnologia a nosso favor e contar com ferramentas de gestão. A CAASC tem o Easyjur, software jurídico gratuito para gestão de escritórios. Dessa forma, o trabalho em casa pode ser executado da mesma maneira que seria no escritório.

 

Portal JusCatarina- A senhora teve a infelicidade de contrair o COVID-19. Já está curada? O que pode dizer dessa experiência?

Cláudia Prudêncio –  Já estou curada, sim. Comecei a ter os sintomas dia 16 de março, 10 dias após participar da Conferência Nacional da Mulher Advogada, em Fortaleza, onde acredito ter contraído o vírus. Imediatamente procurei ajuda e o laboratório veio até minha casa colher meu exame. Meu diagnóstico foi confirmado dia 19 de março. Os sintomas são parecidos com o de uma gripe, mas muito fortes. Eu não conseguia levantar. Tive tosse forte e insuportável. Tive muitas dores no corpo, especialmente no peito, mas não tive febre e nem falta de ar. Depois do resultado positivo, fiquei em casa, isolada, sem contato com marido e filhas, para que eles também não ficassem doentes.
O que posso dizer a todos é o que já escrevi em minhas redes sociais: não tentem achar culpados. O vírus é invisível. Está por todos os lugares, inclusive naqueles em que não imaginamos. A pessoa infectada não sabe que o tem. Ela só desconfia que está com a doença quando o sintoma aparece. Então, se surgir qualquer sintoma da gripe, como febre, tosse (seca ou secretiva), fadiga, dor muscular, dor garganta ou dificuldade para respirar, ou ainda náusea ou diarreia, recomenda-se imediato isolamento e realização de exame, bem como cuidados especiais de alimentação e higienização. Hoje a única forma de contenção da disseminação do novo coronavírus é o isolamento.
A quarentena e a doença fizeram-me enxergar o quão frágeis somos. Precisamos dar mais valor ao que realmente importa, ficar mais próximos das pessoas que amamos e valorizar esses momentos. A felicidade está nas pequenas coisas e passar por um susto como esse nos faz enxergar como nunca a beleza desses momentos.
Quando fiquei doente, meu primeiro impulso foi questionar o porquê de ter acontecido comigo. Foi quando percebi que, mais importante do que procurar respostas para essa pergunta, foi-me dada uma oportunidade para mostrar às pessoas que o vírus é real, que a doença é séria e que todos precisam seguir as recomendações dos órgãos de saúde. Hoje estou curada, já tive alta médica e sigo torcendo pela recuperação de todas as pessoas que contraíram o coronavírus.

 

Cláudia Prudêncio é Advogada formada pela ULBRA – Universidade Luterana do Brasil – Campus Torres-RS, especializada em Direito Societário e Empresarial no Instituto de Pesquisas e Estudos Jurídicos – IPEJ; professora de Direito Empresarial da Universidade do Sul de Santa Catarina – UNISUL; membra da Comissão Estadual de Direito Empresarial da OAB/SC; membra da Comissão Estadual da Mulher Advogada – Seccional de SC; atual Presidente da CAASC – Caixa de Assistência dos Advogados de Santa Catarina – gestão 2019/2021; professora permanente da ESA – Escola Superior da Advocacia; professora de pós-graduação na FUNDASC – Fundação dos Administradores de Santa Catarina.  

(*) A primeira mulher a presidir a CAASC foi Solange Donner Pirajá Martins, gestão 1985 – 1987

 

4